Tampão: o nosso inimigo mais íntimo.

Ontem deparei-me com este documentário na RTP2 – Tampão: o nosso inimigo mais intímo. Confesso que o nome não me intimidou, pois já há muito tempo que não uso tampões. Tudo mudou quando li este artigo, de uma modelo que desenvolveu TSS (Toxic Shock Syndrome) por causa de um tampão e perdeu uma perna.

Sempre preferi usar pensos. Mas há sempre uma altura do mês em que os tampões são convenientes – ou é verão e queremos ir à praia, ou à natação, ou fazer exercício. O problema é que as marcas não nos dizem o que escondem por trás.

A descrição do documentário resume o problema:

“Graças a estudos e testes independentes, sabemos agora que os tampões contêm dioxinas, componentes tóxicos, que estão entre os 10 produtos químicos mais perigosos segundo a Organização Mundial da Saúde. Existe um verdadeiro tabu em torno deste produto, enquanto as mulheres usam em média 11 mil tampões ao longo da vida.”

Os tampões estão cheios de ingredientes tóxicos. Desde o plástico, até ao branqueamento que é feito, é um cocktail de coisas más. Sempre que usamos um tampão corremos o risco de ativar uma bacteria no nosso organismo chamada Staphylococcus aureus que pode originar uma infeção grave ao ponto de nos tirar a vida.

Quão mais absorvente for o produto, pior. Isto também pode acontecer com pensos sintéticos, mas a diferença aqui é que regra geral não mantemos o mesmo penso (em dias de grande fluxo) por mais do que um par de horas. Com os tampões isso não acontece, usamo-los muito para além do tempo recomendado.

Aconselho vivamente a verem o documentário ou pelo menos ler o artigo.

No entanto, depois de falar sobre o assunto no meu instagram ontem percebi duas coisas. Percebi que muitas mulheres não fazem ideia deste problema ou então não sabem quais são as alternativas.

Por isso, vamos falar disso.

O que eu uso: copo menstrual – podem encontrá-lo à venda na Maria a Granel, Sapato Verde, Miristica , Mindthetrash e creio que também em algumas lojas Celeiro. Pode parecer caro mas se fizerem as contas com o número de tampões e pensos que compram todos os meses, sai mais barato.

Outras alternativas: Os pensos reutilizáveis são uma alternativa e também uma ajuda para quando estamos a começar a usar o copo. E se tiverem mesmo que usar tampões, os orgânicos de algodão são uma melhor opção. No entanto, na minha opinião, é um produto que não devia sequer existir. Também estão disponíveis na Miristica e Mindthetrash.

A verdade é esta: o copo menstrual pode ser muito difícil ao início. É muito diferente de um tampão e há definitivamente uma aprendizagem inicial que tem que ser feita. Não vai ser no primeiro nem no segundo ciclo que vão estar a 100%.

Há diferentes guias online que podem ajudar bastante. Há uns anos atrás quando comecei a usar aprendi com as reviews da amazon (!). Mas deixo aqui algumas dicas:

  • Experimenta inserir antes do ciclo menstrual começar e idealmente, num dia calmo. Assim tens tempo de aprender a inserir o copo sem o stress de teres que sair de casa.
  • Lê as instruções com atenção.
  • Faz alguma pesquisa antes de comprar. Há diferentes marcas no mercado, sobretudo online, e apesar de todas serem semelhantes é bom termos a certeza do que queremos.
  • E a mais importante: não tenham medo de experimentar. Honestamente é só sangue e a única razão pela qual nos sentimentos mal é porque a indústria nos tem feito pensar que é algo fora de comum.
  • Lubrificante ajuda (mesmo um natural, como o óleo de côco desde que seja à base de água :))

A minha experiência pessoal e benefícios:

  • Demorei quatro ciclos até acertar a 100%. O penso reutilizável ajudou.
  • Aprende-se imenso sobre o próprio ciclo e corpo ao usar o copo. Por exemplo, eu tenho dois tamanhos diferentes porque ao segundo dia não só tenho um fluxo muito mais abundante como o meu cérvix muda de posição e só consigo inserir bem se o copo este for maior. (Podem pesquisar o que é o cérvix, eu também o fiz :))
  • É zero waste!! Não há plástico envolvido e dura anos.
  • Quando finalmente acertamos, é muito melhor do que qualquer coisa que já usei. Eu uso o meu entre 8h a 12h o que me dá uma flexibilidade enorme. Quando não tenho dores, esqueço-me completamente que ele lá está ou que estou com o período.
  • É ótimo para fazer exercício.
  • Não tem cheiro.

A verdade é que a maioria das pessoas só tem medo de experimentar e eu percebo. Mas os guias ajudam e eu também estou aqui para o que precisarem. Não podemos é deixar que taboos e falta de informação ponham a nossa vida em risco.

I.

2 comments on “Tampão: o nosso inimigo mais íntimo.”

On 2018-07-17 16:01:58, Inês David wrote:

Há sempre o risco de apanharmos a bactéria. Mesmo com os pensos. Todos os produtos e até preservativos estão vulneráveis. No entanto, há uma série de procedimentos que se devem realizar que tornam o copo mais seguro: - não usar mais que 12h; - lavar sempre bem o copo e as mãos entre utilizações; - esterilizar no fim de casa ciclo menstrual. Até ao momento as únicas pessoas (duas) que apanharam a bactéria com o uso do copo, usaram-no durante muito mais tempo. Admito que ainda não existe informação suficiente, só agora é que estamos a conhecer os verdadeiros problemas dos tampões. Mas para mim, até nova informação, continua a ser a melhor opção.

On 2018-06-23 00:26:41, Maria wrote:

Como deves ter reparado, o facto do tampao proibir o sangue de sair, esse mesml sangue vai ser o meio de cultura dos estafilococos doutados. Logo, o copo menstrual irá ter o mesmo efeito. Devias banir o copo tambem!

On 2018-05-22 13:10:36, Aline wrote:

Perfect to me. Thank you for sharing.

On 2018-01-18 17:04:06, Inês David wrote:

Não é? Também adoro! Obrigada eu pelo feedback :)

On 2018-01-17 19:56:33, Gonçalo Costa Pereira wrote:

Maravilha... Nao tinha ca em casa o cravinho da índia e também não coloquei nenhum adocicante. Sabe mesmo bem quentinho nestes dias de frio. Obrigado!

On 2018-01-14 09:56:16, Inês David wrote:

Ehehe leste a descrição em português? :) Não é detox nesse sentido.

On 2018-01-13 20:13:27, Nuno Dias wrote:

"Detox" Not you too, Inês...

On 2017-12-22 21:07:41, Inês David wrote:

Não, neste momento não estão cá ainda. Na altura vivia em Berlim e fiz uma parceria com esta marca. No entanto, a receita dos brownies pode levar qualquer cobertura, como chocolate, por exemplo. E pode ser que em breve tenhamos cá à venda o novo baileys com leite de amêndoa :)

On 2017-12-12 19:23:11, Nuno Dias wrote:

OK, e onde é que raio se encontro este licor à venda em Portugal? Não encontro, né?

On 2017-11-17 19:51:17, Arminda David wrote:

Hum deve ser deliciosa :) Vou fazer

On 2017-10-26 20:48:26, Inês David wrote:

Experimenta! Depois diz-me como ficou :)

On 2017-10-26 20:01:30, Ana Jacinto wrote:

Hmmm acho que isso com iogurte funciona super bem para pequeno almoço! Vou arriscar sem as tâmaras, o doce da banana parece-me suficiente ;)

On 2017-10-26 12:47:49, Inês David wrote:

Boa! Vou trabalhar para isso :) <3

On 2017-10-26 11:34:18, Andreia wrote:

Pequeno guia de restaurantes, please 🙋🙋🙋😘

On 2017-10-09 07:52:16, Inês David wrote:

Olá Vera! Obrigada :) Fico contente por saber. Em breve vou revelar o próximo... ;)

On 2017-10-08 19:13:12, Vera Calha wrote:

Inês, Excelente iniciativa! Gosto muito da ideia de falar detalhadamente sobre um vegetal e apresentar uma receita com ele. Estou curiosa quanto ao próximo protagonista...

On 2017-10-06 07:50:45, Inês David wrote:

Olá Lisa! É vegan, claro :) É este da provamel!

On 2017-09-30 00:16:26, Lisa Fonseca wrote:

Ola Ines! Qual o queijo quark que usas? É vegan? Obrigada!!

On 2017-08-23 16:29:40, Inês David wrote:

Olá Inês! Hás-de reparar que a tarteira está de outra cor, é porque tem lá o link! Mas foi aqui: https://www.tescomaonline.pt/forma-de-tarte-delicia-12-cm :)

On 2017-08-19 21:07:09, Ines3D wrote:

posso perguntar onde comprou a tarteira pequena? não encontro em lado nenhum... bjs

On 2017-08-17 12:06:44, Inês David wrote:

Diz-me se experimentares! Beijinhos

On 2017-08-17 08:07:28, Filipa Jordao wrote:

Parece simples de preparação e maravilhoso e delicioso de aspeto... Quero muito experimentar... Obrigada por partilhares! Beijinho

On 2017-07-13 14:08:59, Inês David wrote:

Não tenho a certeza, é uma questão de os contactar :) Mas caso não mande, eu dou um jeitinho!

On 2017-07-11 19:54:31, Marya wrote:

Sabes se a editora envia para o estrangeiro? :)

On 2017-07-06 13:44:19, Inês David wrote:

Olá Ana! Peço desculpa por responder tão tarde. O blog recebeu recentemente muitos comentários de SPAM e o seu ficou perdido no meio de tantos. Tem toda a razão. Em inglês pus mas em português escapou-me! Já está corrigido :) Obrigada e um beijinho, Inês

On 2017-07-06 13:40:41, Inês David wrote:

Querida Isabel, olá! O blog foi inundado com uma maré de spam e só agora vi o seu comentário! Fico muito contente não só por gostar do livro, como por finalmente conseguir encontrá-la on-line ahah :) Percebo perfeitamente o que diz em relação à jaca. Também só compro esta que é alemã e BIO. Claro que o fruto ao natural seria muito melhor. O único problema é ser difícil de encontrar e também dizem que dá muito trabalho a descascar... Será uma questão de experimentar? :)

On 2017-06-30 15:19:00, Isabel Seabra wrote:

Adorava provar Jaca fresca. Ainda não consegui encontrar à venda. Gostava de experimentar plantar na quinta a partir da semente...isto só porque tenho uma certa reserva em relação a todo o tipo de enlatados. Pode-se dizer que já ando "aguada" com estes desejos de jaca :). Esta receita parece-me óptima. By the way já "devorei" o seu livro de uma ponta à outra. Como é possível que a Inês me tenha escapado?

On 2017-06-29 10:32:58, Ana wrote:

Bom dia, Inês! É a 1ª vez que venho ao seu blog! Nesta receita não faltam as tâmaras nas instruções? Felicidades no lançamento do livro! Obrigada. Ana

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *